Precisa ser escrito. Quem sabe lido!

Translate

Google+ Badge

Ânderson Pará 10. Tecnologia do Blogger.

Translate

Top Postagens

Google+ Followers

sábado, 17 de março de 2018

Como Fugir ou se Curar da Conjuntivite

Surto de Conjuntivite 




É difícil prevenir-se das conjuntivites, mas algumas medidas podem diminuir o risco de você adquirir a doença.

Como se prevenir:


  • Não compartilhar maquiagem ;
  • Evite lugares com pouca ventilação ( ônibus fechado, igrejas, consultório sem climatizador e etc.);
  • Não compartilhar toalhas de rosto;
  • Lave as mãos com frequência:
  • Evite coçar os olhos;
  • Use óculos de proteção se for manusear produtos químicos;
  • Não use medicamentos (pomadas, colírios) sem prescrição médica;
  • Evite nadar em piscinas que não estejam higienizadas;
  • Evite lugares com aglomeração de pessoas;
  • Evite praias ou lagos impróprios para banho;
  • Use óculos de mergulho para nadar;
  • Evite a exposição a agentes irritantes e/ou alérgicos que podem irritar os olhos;
  • Não use lentes de contato enquanto estiver com conjuntivite.
Estas são só algumas dicas...

Mito : Lembrando que só de olhar você não ira pegar a conjuntivite .


A conjuntiva é uma membrana que reveste a parte branca de nossos olhos e  quando ela inflama causa a conjuntivite.

A conjuntivite pode ser causada por vírus ou bactérias e é altamente contagiosa. Pegamos principalmente pelas mãos. Basta alguém colocar a mão no olho, nos cumprimentar e se tocarmos os nossos olhos com a mão contaminada contraímos a doença.

Alergia também pode dar conjuntivite porque pessoas alérgicas tendem a coçar os olhos e isto provoca uma inflamação.

Produtos tóxicos também podem levar à conjuntivite. É o que acontece quando o cloro da piscina entra em contato com os olhos.

Com o tempo seco, pode ocorrer mais facilmente. Isto porque a conjuntiva resseca e as nossas defesas locais diminuem. Em contato com o pó ou outros alérgicos, sentimos muita coceira. E quando coçamos estamos levando agentes infecciosos que podem nos infectar.


Existem seis tipos de conjuntivite mais conhecidas:

  • Conjuntivite alérgica;
  • Conjuntivite viral;
  • Conjuntivite bacteriana;
  • Conjuntivite fúngica;
  • Conjuntivite gonocócica;
  • Conjuntivite de inclusão.

A mais comum das conjuntivites é a viral, seguida da bacteriana.
Ambas são transmitidas facilmente entre as pessoas.
A terceira mais comum é a conjuntivite alérgica, essa não é transmissível.


Os principais sintomas da conjuntivite são:

  • Olho vermelho e lacrimejante;
  • Inchaço nas pálpebras;
  • Intolerância à luz;
  • Visão embaçada;
  • Visão borrada.


Alérgica


Acontece quando os olhos entram em contato com alguma substância que irrita os olhos.
As substâncias que mais causam a reação alérgica aos olhos são: pó, pólen, mofo, pelos de animal, entre outros.

Esse tipo não é transmissível, portanto não é necessário faltar aula ou trabalho.  
( Se deu mal e não vai ganhar atestado para faltar aula ou o trabalho espertinho rsrs)


Viral

Essa é a forma mais comum e, geralmente, esse tipo é causado por um vírus. 
Sintomas de virose pode ser comum ao ser contaminado, como febre e sintomas parecidos com os de resfriado.

Esse é o tipo de mais transmissível.

 Se o paciente encostar nos olhos e logo após tocar em algum objeto e outra pessoa também utilizar o mesmo objeto, ela pode ser infectada.

Mas é importante deixar claro que a doença não é transmitida pelo ar.

Não tocar nas mesmas coisas que alguém com a doença já é o bastante para não ser contaminado. Se o paciente estiver com sintomas respiratórios, como tosse e espirro, aí sim o vírus pode ser transmitido. Não pelo ar, mas sim pelas secreções que emitiu.

Esse tipo de começa em um olho e, de 1 a 2 dias, já é transmitida para o outro.
É curada sozinha, entre 7 a 10 dias o problema é resolvido, sem a necessidade de tratamento. Mas, muitas vezes, o médico pode recomendar colírio para causar menos desconforto.

O contágio pode ser feito durante todo o tempo em que o olho estiver vermelho.


Conjuntivite bacteriana


Esse tipo é bem menos comum do que a viral.
Há apenas cinco tipos de bactérias que podem acometer aos olhos.


A transmissão se dá através do contato entre secreções, sendo que uma delas precisa estar contaminada. Na conjuntivite bacteriana é necessário o contato pessoal para que a transmissão seja feita. Dividir toalhas e roupas de cama pode ser um fator de risco.

Apesar de ocorrer nos olhos, a secreção pode estar por todas as  partes da pele e apenas um toque é o suficiente para infectar outra pessoa. 

Distinção de conjuntivite alérgica, viral e bacteriana

Abaixo você consegue distinguir as 3 principais :

  • Os três tipos de conjuntivite costumam causar secreção nos olhos. Enquanto na bacteriana a secreção é purulenta, na viral e alérgica a secreção costuma ser mais aquosa.
  • Na forma viral, outros sintomas de virose costumam estar presentes, como dor de garganta, espirros, tosse e mal estar.
  • A forma alérgica costuma afetar os dois olhos ao mesmo tempo, enquanto a bacteriana e a viral primeiro afeta um dos olhos e, dias depois, o outro.
  • Linfonodos palpáveis na região posterior das orelhas costumam estar presentes nas formas bacterianas e virais, diferente da alérgica, que não costuma apresentá-los.
  •  


Se já pegou a maldita, agora só resta tratar com paciência .

Tratamento

O tratamento pode ser feito com compressas embebidas em soro fisiológico e colírios indicados pelo médico (Oftalmologista ), além de ser muito importante limpar os olhos com frequência. 
É muito importante consultar o médico para fazer o tratamento, pois é ele quem indicará o tipo de conjuntivite e, consequentemente, o tratamento. 
O uso do colírio correto é fundamental pois existem alguns antiinflamatórios, outros antibacterianos e outros antialérgicos.

Compressas à base de camomila podem acalmar os sintomas da conjuntivite, por evitar a inflamação. Ao aplicar, é importante que seja feito com gaze para filtrar e aplicar em cima do olho.


←  Anterior Proxima  → Inicio

0 comentários:

Top Views